Estácio de Sá terá Singapura em seu enredo para o Carnaval 2018


Após alcançar o 3º lugar no Carnaval 2017 a Estácio de Sá deu o pontapé inicial para o Carnaval 2018 em grande estilo: apresentou Singapura como tema do seu enredo 2017 durante coquetel para imprensa e convidados no Clube Municipal do Rio de Janeiro, localizado na Tijuca, Zona Norte do Rio. A agremiação aproveitou a oportunidade para apresentar oficialmente as suas novas contratações. Ariadne Lax, como coreógrafa da comissão de frente, Serginho do Porto, retornando como voz oficial e Wallace Martins que assume o comando da bateria Medalha de Ouro, no lugar de mestre Chuvisco. Chico Spinosa passa a ser carnavalesco sozinho e Tarsicio Zanon assume a direção artística.

A Estácio apresenta como tema do seu enredo “Singapura” através de uma parceria que visa comemorar os 50 anos de intercâmbio cultural e comercial entre a cidade-estado e o Brasil. Patrocinado, o enredo terá como viés o leão, símbolo comum entre ambas, além das cores vermelha e branca que simbolizam as duas bandeiras. No entanto ainda sem divulgar o nome do seu enredo, através de explanação sobre o tema, o carnavalesco Chico Spinosa explicou o que pretende abordar e revela que vê no tema como o diferencial que faltava na sua carreira.

– Singapura é um uma cidade multi-racial composta por pessoas de várias raças e religiões, todos vivendo juntos em harmonia. Os quatro principais grupos étnicos em Singapura são os chineses, Malay, indiana e eurasiana. Marcada por luxo, corresponde hoje ao maior local com quantidade de habitantes milionários. Colocamos o ouro na nossa logo do enredo remetendo à mente os ideais dourados de Singapura – a democracia, a paz, o progresso, justiça e igualdade. O leão é o ponto principal e mais marcante da arte. Representa a parceria entre Singapura e Estácio de Sá. O leão é uma reminiência de Merlion, que tem uma cabeça de leão e corpo de peixe, um dos ícones de Singapura e leão é o símbolo da Estácio, esse será o nosso elo. – explica Spinosa.

Leziário Nascimento, presidente da agremiação explicou em coletiva de imprensa que a possibilidade do enredo surgiu após uma visita da equipe na quadra da Estácio de Sá. O grupo se encantou pelo samba, se identificou com o leão, símbolo da escola do São Carlos e retornou com a proposta de enredo. Entendendo que para se fazer carnaval competitivo na Série A é necessário um apoio fora do valor obtido através de subvenção e interessado no projeto proposto, bateu o martelo para que a agremiação leve Singapura e sua cultura para a Avenida Marquês de Sapucaí sem mencionar, no entanto ajuda financeira oficial de Singapura. Sobre as mudanças na equipe, o dirigente da escola se limitou a dizer que todos já eram Estácio de Sá, ou seja nada mudou. A coreógrafa da comissão, Ariadne Lax era assistente do coreógrafo e coreógrafa dos casais, mestre Wallace é componente da bateria da escola desde os 8 anos de idade e o intéprete Serginho do Porto retorna à escola, após 7 carnavais afastado.

Programado para ser apresentado no dia de São Jorge, 23 de abril, durante feijoada na quadra, o enredo da Estácio de Sá promete ser o trunfo que a agremiação precisa para seu retorno à elite do Carnaval.